Mais do que moda!

O surgimento do termo “fashionista”

Por Letícia Santana

O surgimento do termo “fashionista”

Ao abrirmos uma revista feminina, acessarmos um site de moda ou até conversamos com amigas, podemos perceber que a palavra “fashionista” aparece frequentemente. Geralmente, tal termo é ligado às fashion victims ou alguma parte “fútil” da moda. Porém, sua origem vai muito além.

Essa expressão foi utilizada pela primeira vez em 1993, no livro “Thing of Beauty: The Tragedy of Supermodel Gia”, escrito pelo jornalista Stephen Fried. Na obra, o autor descreve a carreira das primeiras modelos, destacando Gia Carangi, e utilizando o termo para designar as profissionais que faziam parte das campanhas e editoriais ao lado dela. Tantas foram as críticas à palavra “fashionista” que o próprio Fried se desculpou pela sua criação. Porém, todo o burburinho não adiantou muito, já que em 1999 o termo entrou para o Oxford English Dictionary e até hoje é utilizado.

O que poucos sabem é de onde surgiu a ideia para a criação da palavra… Como Stephen estava escrevendo um livro sobre uma modelo que fez um grande sucesso nas décadas de 70 e 80, o jornalista tratou de estudar tudo que aconteceu entre esses anos e se atentou à revolução ocorrida em Nicarágua. Os revolucionários de tal ato eram chamados de Sandinistas, já que foi Augusto César Sandino que inspirou a luta. Assim, Stephan Fried juntou o sufixo -istas à palavra “fashion”, com o intuito de trazer um cunho revolucionário à moda, dando força, valores e propósitos a esse tipo de arte. Interessante, né?

A visão da moda inteligente, consciente e plural é tão bacana e passa tão longe do fútil e até mesmo a roupa em si também não tem nada a ver com futilidade. Uma peça tem o poder de nos renovar, nos botar para cima. Um sentimento de identificação instantânea brota quando o caimento é perfeito e o corte, impecável. Roupa vai muito além de um pedaço de tecido. Mexe com sentimento, com autoestima. Não nos limita, não dita, mas, sim, nos possibilita.

Usar o termo “fashionista” ligado à futilidade, jamais!

Mais em Borboleta Vintage.
Instagram: @borboletavintage

Fotos: Reprodução.

Leia MAIS:

Deixe uma resposta