Mais do que moda!

Ócio da moda

Por Letícia Santana

Ócio da moda

Muito se vem debatendo sobre como a moda ficou repetitiva e cansativa. Porém, o que não se fala é que, na verdade, quem ficou assim foram as marcas e as pessoas que estão sempre reproduzindo exatamente as mesmas imagens e se tornando cada vez mais iguais. Um sem fim de obviedades que se repetem infinitamente, nos fazendo desprovidas de renovações.

Criar o novo é uma missão árdua. Calças, vestidos, blusas, saias e todas as outras peças já foram inventadas, assim, o desafio torna-se inovar o já consolidado. A ideia é reciclar o olho, ou seja, fazer verdadeiras revoluções estéticas apurando o ponto de vista como consumidor e criador. Trazer formas diferentes de usar as mesmas coisas. Parece difícil, mas se tem capacidade e talento o suficiente para criar, reinventar e inovar, afinal a criatividade é sem dúvidas uma das maiores dádivas do ser humano.

Porém, o assunto muda de figura ao se tratar de tendências. Até porque ela surge justamente quando uma esfera visual que envolve arquitetura, música, cinema e tantas outras artes começam a se repetir inúmeras vezes. É aí que entra a diferença entre moda e consumo que, apesar de estarem ligados, são dois pontos que ocupam posições e funções diferentes no processo criativo.

O radar deve estar sempre ligado para diferenciar a peça que realmente faz o seu coração bater mais forte. Algo que vem de uma receita mastigada, feito para agradar à primeira vista, é diferente de um verdadeiro trabalho artístico que deve ser contemplado. Cada um cumpre o seu papel, mas saber distingui-los é essencial. As tendências podem precisar de padrão, mas a moda só quer emoção.

Mais em Borboleta Vintage.
Instagram: @borboletavintage

Foto: Reprodução.

Leia MAIS:

Deixe uma resposta